,

Essa coisa esquisita chamada : você.

00:38



Já cansei de buscar explicação. É sério! De todas as coisas loucas que me aconteceram na vida quem diria que a maior seria você? Mesmo que eu não queira admitir. Mesmo que não admita.

Deixei de mandar mensagem, parei de stalkear, me convenci a me deixar conhecer um outro alguém, e outro alguém e mais outro alguém... Mas ninguém que me faça gelar a espinha como você me faz. Ninguém que me olhe do jeito que você olha, parecendo enxergar minha alma, parecendo enxergar os meus remendos, esses mesmos, tão iguais aos seus.  

Queria saber o que você pensa... Entrar nesse seu mundinho, na esperança de encontrar um tantinho de mim ali. E no fundo eu sei que tem. No fundo eu sei que você sabe que eu sei, que eu sinto... Que a gente sente. E isso é lindo e isso dói também. Meu coração ainda em cacos, não esperava bater tão forte de novo. Com o seu toque, com o seu beijo, sua presença... No fundo eu sei foi a pessoa certa, na hora errada. Ou não... talvez seja desculpa minha. Talvez seja desculpa nossa por medo de se quebrar de novo. De se quebrar mais ainda.

E eu, egoísta, só queria que desse certo. Independente das circunstâncias. Independente de qualquer coisa...

Por favor universo, só mais essa chance. Por favor, pelo menos dessa vez. Principalmente dessa vez.

Depois de tanto tempo eu queria que alguém ficasse. Eu queria que você ficasse. Dessa vez mais do que tudo eu desejei que o universo ouvisse - e você também - o grito silencioso que minha boca não consegue soltar, minha alma sim, as batidas do meu coração sim, os meus olhos sim... Olhos esses que você se tanto se demora e ao mesmo evita. E eu sei o porquê. São os mesmos motivos que eu tenho. As mesmas dores, os mesmos remendos...

Queria entender essa eletricidade pelo meu corpo quando a gente se toca. Se abraça. Geme. Goza. Essa sincronia desavisada e tão certeira. No meu corpo. No seu corpo. Em nós dois. Em tudo. E o modo como eu sempre volto. E você também.

Queria entender essa coisa esquisita que acontece com a gente. Esse bumerangue de encontros aqui e ali, que mesmo com o tempo, não perdem esse efeito que me embriaga e me faz querer ficar aqui com você a qualquer hora. E pra sempre. Mesmo que esse sempre não dure tanto. Mesmo que o pra sempre não dure pra sempre.

Queria entender o que revira aqui dentro em cada despedida. E em cada novo encontro.

Queria poder dizer que te entendo... Com esse seu sorriso bobo, essa sua bagunça e todos os seus medos. Queria poder te pedir pra ficar. Queria poder ficar. Queria poder dizer o quanto eu gosto do seu cheiro, desse seu cabelo, das suas esquisitices e muito mais delas junto com as minhas. É tanta coisa que eu só queria que você soubesse... Mas, sei lá, você sabe.

É... Você sabe.


Você poderá gostar também de:

5 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Quem sabe
    O que o outro sabe
    Mal sabe
    Que não se sabe
    Sequer o que se sabe
    Porque em nós mesmos
    O nós não cabe
    Estamos a esmo
    Às vezes aos pares
    Nunca somos singulares
    Mesmo se parece que sabe
    Tudo isso que a gente sabe
    Nunca se sabe
    Se no outro cabe
    Se no outro acaba
    Sinuosa capa
    Só sei que nada sei
    E até nisso eu errei
    Daí desassosseguei
    Mas ainda levo da vida muito tapa
    A gente derrapa
    Tropeça
    Desconversa
    E quando não vê logo pensa
    Que a vida é imensa
    Mesmo se o crime não compensa
    Não se está aqui pela recompensa
    Mas pelo caminhar
    Que é melhor com um par
    É bom ter com quem conversar
    Alguém que em nós não cabe
    Sabe...

    ResponderExcluir
  4. voce tem umas filosofia interessante

    ResponderExcluir
  5. Primeiramente: Adorei seu layout novo! <3
    Segundo: adorei o texto moça! Muito fofo!!
    http://www.arquivosderafaela.com/

    ResponderExcluir

Instagram Jéssica

Comentários Recentes